Nóticias

Postada em: 02/07/2018

Sindicatos de Máquinas Agrícolas intensificam mobilizações da campanha salarial

Sindicatos de Máquinas Agrícolas intensificam mobilizações da campanha salarial Sindicatos de Máquinas Agrícolas intensificam mobilizações da campanha salarial Sindicatos de Máquinas Agrícolas intensificam mobilizações da campanha salarial Sindicatos de Máquinas Agrícolas intensificam mobilizações da campanha salarial

Durante toda essa semana, os sindicatos de Máquinas Agrícolas filiados à Federação dos Metalúrgicos do RS (FTM-RS) intensificaram a mobilização, fazendo um mutirão nas portas de fábricas de diversas regiões do estado. O motivo é o desrespeito da patronal que ainda não apresentou uma proposta de reajuste salarial e trouxe uma pauta para retirar direitos dos trabalhadores.

A chuva que caiu no começo da semana não foi empecilho para os dirigentes sindicais conversarem com os trabalhadores. Foram realizadas atividades em fábricas de Passo Fundo, Carazinho, Panambi, Marau, Horizontina e Santa Rosa.

O dirigente do Sindicato dos Metalúrgicos de Horizontina, Jorge Ramos, conta que a receptividade dos trabalhadores está muito boa, pois eles sabem que se não houver mobilização na base, a negociação não avançará. “Nas assembleias, estamos relatando as dificuldades para os trabalhadores que estão revoltados com o desrespeito da patronal que nem uma proposta econômica foi capaz de apresentar”.

Ele ressalta que na quinta-feira (28), os trabalhadores pararam a produção da John Deere por 20 minutos para ouvirem o Sindicato. “Aqui em Horizontina, a empresa irá abrir mais um turno e a produção está em alta, contratando mais trabalhadores. Além disso, a John Deere tem feito inúmeras benfeitorias para o município, não somos contra isso, porém isso mostra que dinheiro não é problema para a empresa. Então, por que não valorizam o trabalhador?”, indagou Ramos.

Fazendo um balanço da semana, o coordenador da mesa de negociação e presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de Santa Rosa, João Roque dos Santos, afirma que a maioria das empresas está numa situação confortável, com produção em alta. “Há poucos casos pontuais de fábricas que apresentam problemas, mas isso não é por causa de alguma crise de mercado”, avalia.

“Os trabalhadores, em todo o estado, estão parando para nos ouvir e compreendem a importância de uma forte mobilização. Deixamos claro que esse é um alerta para as empresas, em busca de algum avanço na negociação. Caso isso não ocorra, iremos parar as fábricas”, garante João Roque.

A próxima reunião de negociação é quinta-feira, dia 5 de julho.

Melhora no cenário: O ano de 2017 foi favorável para a produção de máquinas agrícolas, que apresentou um crescimento de 1,8% em comparação ao ano de 2016, acumulando 54.032 unidades. O cenário favorável continua neste ano, conforme dados Anfavea, de janeiro a abril, o setor apresentou um crescimento de 1,26% em relação ao mesmo período do ano anterior. Além disso, a liberação dos recursos do Plano Safra, anunciado no dia 6 de junho sinaliza para que melhores resultados ainda este ano.
Fonte: Campanha Salarial 2018


[ Voltar ]

Carazinho - RS
Av. São Bento, 501 - Bairro: Glória
CEP: 99500-000 - Carazinho - RS
Tel.: (54) 3331-1088

2016 Copyright(c) - Sindicato dos Trabalhadores Metalúrgicos e Mat. Elétricos de Carazinho
Todos os direitos reservados - Desenvolvimento: RuralClassi do Brasil